terça-feira, 2 de abril de 2013

VOTO OBRIGATÓRIO.

O voto obrigatório eu trato como um erro imposto pelas leis de nosso país, pois se somos livres o ato de votar deveria ser opcional, e não ser severo com os que deixam de faze-lo tendo como consequência uma pena e uma certa exclusão, dependeria de cada um ir ou não votar, já que é um decisão tão difícil seria legal o cidadão optar pela escolha, caso não se sentir-se totalmente convicto do seu direito. Algumas pessoas até se sentem aliviadas quando terminam de votar, parece que algo sufocava suas mentes, e com algemas os obrigam a saírem de suas casas forçando-os com ameaças a usarem o direito de votar, também não deixa de ser isso, não com essa intensidade imaginária, mas com a força da exclusão como por exemplo "o não direito de estudar em escolas públicas" caso não tenho justificado seu voto.

Antigamente existia o voto de cabresto, os grandes fazendeiros tinham influência nas comunidades e obrigavam os que viviam em suas terras a votarem em quem eles mandassem, e assim ganhavam recompensas dadas pelos políticos. Hoje ainda somos obrigados a votar, não explicitamente como antes, mas de outra forma, podemos até nós negarmos a isso, mas sofreremos com o mal da exclusão, tiram o nosso direito de fazermos algo, tiram nossa liberdade.

Somos um país jovem que andou em direção errada no início, se livramos de uma tirania externa para formar uma monarquia interna em vez da democracia onde o poder é exercido pelo povo e não de um só homem. Ainda temos muito a crescer e vamos, o problema é a velocidade com que acontece essa evolução.

Nenhum comentário:

Postar um comentário