quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Uma confusão que se chama amar

Sozinho estou, perdido no vazio, precisando de uma luz um caminho a seguir, sem destino vago na busca por algo, procurando uma coisa sem saber bem o que é, andando para um lado e outro não vejo nada, mais me lembra tudo, o que sinto é incomum, não tem forma cheiro ou sentido, nunca o vi mais pareci ser tão grande quanto nos, pareci uma doença que confunde nossos sentidos, causando perda da realidade, fico pensando no futuro angustiado, e o que quero não posso! Uma palavra que lembra textos sem fins, talvez seja o princípio da criação, o chamam de amor, e eu a chamo de lida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário