quarta-feira, 1 de maio de 2013

A Procura do Sentimento...

A vida é misteriosa, ela realmente não é previsível, as coisas acontecem tão rapidamente que ficamos embasbacados, falo dos sentimentos, sim deles que destroem nossa rotina, rotina essa cansativa cheia de coisas porém vazia, como vazia? Vazia de um nada, de ninguém, quando o ninguém é alguém e o alguém não existe. 

Sentimento que nos coloca em busca de algo que não sabemos o que é, e como achar o que não conhecemos? Não se sabe, mas é procurando que se encontra, ou achamos, ou somos achados. Prefiro que me achem, mas como vou ser achado se do quarto não saio? Mas dizem que isso ocorre em qualquer lugar, então espero ser atingido por esse tal sentimento, que dele tenho medo! Pois muitos já se perderam ao senti-lo, mentes brilhantes se perderam, a loucura os engoliu e foram tomados de solidão. Não quero esquecer de mim, se esse sentimento vier eu corro, corro bem rápido e dele eu fujo, só não irei me esconder, pois tenho medo de me esquecer.

Eu falo do mais cruel dos sentimentos, aquele que nos tira o ar do peito, ele que é mal e bem. Mas não quero tê-lo, pois as vezes vem e vai, e o que vai pode não voltar, e quando não volta é porque perdeu, e eu nunca gostei de perder. Esse sentimento é par, Deus o criou para dois, e é para sempre, até que o sempre tenha um fim, mas se só um sentir o que acontece? Nada, e é desse nada que tenho mais medo, então fujo até que um dia eu seja pego, mas por enquanto o pássaro segue solitário, voando, voando, pra onde? Pra algum lugar onde acabe essa minha contradição de procurar e não querer encontrar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário