sexta-feira, 15 de março de 2013

O Dever de Um Advogado

Fico pensando nessa difícil profissão, nas várias escolhas decisivas que os tais precisão tomar para acusar ou defender outrem. O que pensam quando pegam um caso? Eles tratam tudo com profissionalismo e esquecem o lado "emoção", ou não usam? Por ser a parte humana que meche com a razão e sentido?

Eu tenho em mente que os advogados são pessoas espertas e excepcionais, não por sua formação acadêmica, mais sim por serem grandes condutores da emoção, controladores únicos do seu próprio corpo. Se prestarmos bem atenção, veremos que essas pessoas conseguem enganar a eles mesmos, obrigam impondo a verdade a seus corpos, mesmo sem conhecer a real história dos fatos, só agarram o caso e tratam cegamente o que defendem como o único e verdadeira fato.

Eu realmente não queria estar na pele de uma pessoa que julga a outra, tendo como pena o fim da vida do acusado, pois uma pessoa julgada e culpada tem sua liberdade tomada, e extinguida. Se é de fato o delinquente merece a pena dado a si, mas já pensaram se a pessoa que tem sua vida ceifada é um inocente? É tudo muito difícil, falo também do Juiz, a última palavra, a derradeira voz sentencial, o que condena e absolve na nossa lei em vida.

Com tudo, de uma coisa tenho certeza! Deus é a única lei perfeita, o primeiro e último Juiz, o defensor e acusador de nossos atos, a testemunha que tudo ver, ele será a voz da condenação e da libertação.
Que Deus guie as escolhas do homem, amém...

Um comentário:

  1. E infelizmente existem profissionais exercendo a advocacia que parecem mais bandidos que os próprios bandidos que os contratam... vergonhoso isso. Adorei a postagem, bjus querido e tenha um lindo final de semana.
    => Gritos da alma
    => Meus contos
    => Só quadras

    ResponderExcluir