quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Falando Com o Altíssimo!

Ó grande Artesão do espaço tempo, és tão grandioso, tão poderoso, Tu podes tudo, mas se rebaixa pedindo que nós vós ame acima de tudo, como que se aquele que desenhou o espaço não conseguisse rabiscasse o amor para si próprio. Porquê fez assim?

Ó Grande Altíssimo, Tu que fez o céu e a terra, mas não fez o homem te amar deis da criação, deis do nascimento, porquê meu Deus? Porquê clamas por amor? Como conseguiu ou consegui aguentar a solidão? Tens carência como eu? Precisas muito  ser amado? Eu vós digo que sem tua presença não seria nada, nada além de um boneco de barro que despedaça com o tempo, perdoai a minha ignorância, sou uma criança desastrada que procura entender a vida, e sei que só crendo em Ti terei a paz.

Não suportaria a solidão que passaste. E sei que és o único que acredita em mim até quando eu mesmo não creio, sou pequeno, sou errante, desculpa minhas palavras, não sei quais as palavras nem como usar diante do Engenheiro da história, perdoe esse pequeno errante imperfeito. 

Tu o que escreve a vida, só pediu para que nós o ame e acredite em você, um pedido tão simples se quer ordenou, e tens todo o poder para isso, ordenar ou criar amor pra si, mas não fez, eu te amo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário